Seja bem vindo

Quando o dia amanhece Deus abençoa a todos, quando a noitece Deus dar o descanso para o corpo, mas mantém seu espirito em vigilancia. Permaneça firme em tudo que deseja realizar com fé e segurança.

Pesquisar este blog

quarta-feira, 25 de julho de 2012

SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE CARPINA,
PAUDALHO, ITAQUITINGA, ALIANÇA, VICÊNCIA, MACAPARANA,
BUENOS AIRES, TRACUNHAÉM E LAGOA DO CARRO.
FILIADO A FEDERAÇÃO DOS SINDICATOS E ASSOCIAÇÕES DE SERVIDORES PÚBLICOS EM
PERNAMBUCO, À CONFEDERAÇÃO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO BRASIL, A CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS E A CENTRAL GERAL DOS TRABALHADORES DO BRASIL.

INFORMATIVO SINSEMUC - CARPINA

CAROS PROFESSORES

Considerando a informação dada pela Ilustríssima Srª Suzana Aquino. Secretária de Educação deste Município em 25/07/12, durante o Encontro de Formação dos professores, realizado na Escola Salesiano, alegando que o Prefeito embora tenha sancionado a lei que trata sobre o reajuste dos professores do Município de Carpina, não irá efetuar o pagamento neste mês;
 
Considerando, que não foi apresentado por parte do Prefeito nenhuma justificativa para o não pagamento, já que o mesmo deveria ter ocorrido em janeiro do corrente ano;
 
Considerando a insatisfação da categoria após a informação prestada pela secretária de Educação;
 
Informo que a categoria está convocada a comparecer no Sindicato no dia 08/08/12 às 09:00 horas, para uma Assembleia onde será retomada a greve e definir a reposição das aulas do tempo interrompido, caso o Prefeito não efetue o pagamento com o devido aumento até a data de 07/08/2012, conforme o mesmo foi informado através do oficio 169/12.
                                                                            

                                                                          Atenciosamente
 
                                                                     Maria das Mercês Silveira Coutinho.
                                                                               Diretora Presidente
                                                                                                             
                                                                                                                 Carpina - PE; 25 de Julho de 2012.
                                                         

                                                              "NÃO VENCEMOS TODAS AS VEZES QUE LUTAMOS, MAS
                                                              PERDEMOS TODAS AS VEZES QUE DEIXAMOS DE LUTAR"
 

Avenida da Bandeira N°. 357, Bairro: São Sebastião, Carpina - PE CEP N° 55818-565
Tel./fox:3622-1623 E - mail - SINSEMUCfg.gmail.com - CNPJ N° 03.067.124.0001-82
cadastro de N°. 46000.015712/00-06, concedido do D. O.U em 25/09/03, seção 1, p58.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Governo amplia pacote do reajuste de professores para R$ 4,2 bilhões

Nova proposta apresentada nesta terça-feira prevê aumento salarial entre 25% e 40% a partir de 2013




O governo federal apresentou nesta terça-feira (24) uma nova proposta para professores de universidades e institutos tecnológicos para encerrar a greve iniciada há 69 dias – conforme antecipou o iG. O Palácio do Planalto elevou a fatia do orçamento público para o reajuste salarial dos docentes de R$ 3,9 bilhões para R$ 4,2 bilhões em repasses para os meses de março de 2013, 2014 e 2015.


Opinião: Greve nas federais é resultado da expansão das universidades
Outra categoria: Governo autoriza Eletrobras a fazer nova proposta a grevistas  
O governo também reformulou os repasses mínimos de 12% para 25%. O teto do aumento do salário dos professores se mantém em 40%. A mudança exclui dos percentuais acertados na semana passada os 4% de reajuste concedido em março deste ano. Ou seja, o repasse de 25% a 40% irá incidir sobre o salário-base acrescido dos 4% formalizados pelo Ministério da Educação há três meses.
“O governo atendeu nosso pleito, que era de aumento de 24,75%. Os 15 pontos que o Proifes colocou foram contemplados. Hoje teremos reunião do nosso conselho e, a partir daí, vamos consultar os professores de todo o país”, disse o presidente da Federação de Sindicatos de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes), Eduardo Rolim de Oliveira.
Representantes do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) e do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe) presentes na reunião avaliaram que a proposta ainda é insuficiente, mas afirmaram que vão levá-la para votação.
O governo fixou como prazo para o fim da greve até a próxima segunda-feira, quando a greve iniciada em 17 de maio completaria 75 dias. A data atende pedido da presidenta Dilma Rousseff, que ordenou aos ministros Aloizio Mercante (Educação) e Miriam Belchior (Planejamento) acabar com a greve antes do retorno dos alunos das férias de meio de ano.
O secretário de relações de trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, confia agora na aceitação da proposta pelos professores. “Fizemos uma série de ajustes para o plano de carreira dos professores. Estamos confiantes de que seja o suficiente para terminarmos com a greve”, disse.
Segundo ele, caso haja uma aceitação parcial o governo pode vir a negociar caso a caso eventuais alterações sugeridas por classe representante dos professores. O governo classifica a proposta apresentada hoje como parte de um plano estratégico para reestruturar o sistema nacional de educação. Estudantes e professores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) protestam na Avenida Paulista contra a precariedade dos câmpus (28/5). Fonte: IG -Últimos segundo - 24/072012. 

Já em Carpina, a situação é diferente. O prefeito da cidade não dá sinal se vai pagar ou não o reajuste salarial do Piso Salarial dos Professores da Rede Pública Municipal de Ensino. Todos estão numa espectativa só, esperando apenas o dia do pagamento. Os prefessore todos anciosos ligando para o sindicato em busca de algumas resposta que lhe tranquilise. 
Outrosssim, após 75 dias  de greve ,o governo federal  cede a reividincação dos tralhadores do serviço público da educação entre outros para que o Brasil volta crescer com dignidade e sabedroria. 





Dilma abre os cofre públicos para acabar com agreve

A despeito da frustração do mercado com o crescimento do PIB este ano, a equipe econômica está, até agora, arrancando elogios de analistas devido à política fiscal, sobretudo na recusa do governo em oferecer reajustes aos servidores públicos.
Um dos analistas que destacaram esse ponto, em entrevista ao Poder Econômico, foi o economista-chefe do Itau-Unibanco, Ilan Goldfajn, também ex-diretor do Banco Central.
- O governo está começando a expandir, mas não estou vendo os gastos explodirem este ano. Há controle dos gastos com funcionalismo – tanto que tem várias áreas em greve – disse Goldfajn.
No entanto, como percebeu o presidente da Federação Nacional dos Urbanitários, Franklin Moreira, em conversa com o Poder Econômico, o governo está claramente com outra postura – talvez por ser obrigado a lidar com tantas greves em ano eleitoral.
Hoje, o governo atendeu reivindicações dos professores. Amanhã, será a vez dos eletricitários. Ou seja, mesmo com certa “parcimônia”, como se diz no BC, Dilma Rousseff abriu os cofres.
No Ministério do Planejamento, a ordem do Palácio do Planalto é clara. A negociação está mais para o lado dos funcionários grevistas. O governo está calculando, segundo um integrante da equipe de Miriam Belchior, que a continuação do quadro de paralisação, especialmente nas agências reguladoras (Anvisa, principalmente, por causa dos portos), pode prejudicar a retomada da economia no segundo semestre.
Para acabar com as greves, o cálculo preliminar do Ministério da Fazenda é que a folha de pagamento da União pode aumentar em até R$ 90 bilhões, quase a metade do total pago hoje a funcionários federais.
O governo não deve ceder um montante desses, mas Dilma teria acordado em repassar algum aumento para amenizar os ânimos de olho no desempenho da economia entre janeiro e dezembro. Ou nas urnas em outubro.
Fonte: Ig últimas Notícias

domingo, 22 de julho de 2012

MPPE e PRE divulgam balanço sobre impugnações de candidaturas

A Justiça Eleitoral computou até esta quarta-feira (18) 712 pedidos de impugnação de candidatura, sendo 318 delas impetrados por promotores de Justiça com atuação eleitoral. Nas 30 principais cidades do Estado – Recife e os demais 13 municípios da Região Metropolitana e mais 16 cidades polos do interior – foram 172 ações de impugnação movidas por promotores eleitorais. Os dados fazem parte de um balanço fechado hoje pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE-PE).
Segundo dados do MPPE, das 172 impugnações formuladas pelos promotores de Justiça nas 30 principais cidades do Estado, 65 foram com base na Lei da Ficha Limpa. Os demais casos, em sua maioria, se devem ao não atendimento por parte das coligações do mínimo de 30% de candidaturas de mulheres.
A cidade com maior número de pedidos de impugnação foi Araripina (Sertão) com 26. Mas Jaboatão dos Guararapes registrou a maior quantidade de requisições com base na Lei da Ficha Limpa com 12 pedidos no total.
A grande maioria dos casos de enquadramento na Ficha Limpa se deve a rejeição de contas dos candidatos nos Tribunais de Contas do Estado (TCE) e da União (TCU). A Justiça Eleitoral tem até 5 de agosto para julgar todos os casos. Se os pedidos dos promotores forem atendidos, os candidatos ou coligações alvos das ações serão impedidos de disputar as eleições deste ano.
A atuação dos promotores foi elogiada pelo procurador regional Eleitoral, Antônio Edílio, e destacada pelo procurador-geral de Justiça, Aguinaldo Fenelon. “Isso só reforça o compromisso dos promotores com a legalidade nas eleições e com uma atuação dentro dos parâmetros institucionais”, afirmou o procurador-geral de Justiça.
Confira abaixo os dados dos pedidos de impugnação formulados por promotores eleitorais por município:
Municípios RMR Número de Impugnações Ficha Limpa
Recife 12 1
Jaboatão dos Guararapes 12 12
Olinda 1 1
Paulista 1 1
Abreu e Lima 8 2
Igarassu 10 10
Itapissuma 6 0
Itamaracá 4 0
Araçoiaba 1 1
Camaragibe 1 1
São Lourenço da Mata 9 2
Moreno 4 0
Cabo de Santo Agostinho 13 3
Ipojuca 1 1
Total 83 3

Municípios do Interior Número de Impugnações Ficha Limpa
Afogados da Ingazeira 0 0
Serra Talhada 22 2
Salgueiro 0 0
Petrolina 4 4
Ouricuri 15 4
Santa Cruz do Capibaribe 2 2
Vitória de Santo Antão 1 1
Palmares 3 1
Carpina 0 0
Gravatá 1 1
Goiana 3 2
Caruaru 0 0
Garanhuns 10 10
Belo Jardim 2 2
Arcoverde 0 0
Araripina 26 1
Total 89 30

Fonte: MPPE-

quinta-feira, 12 de julho de 2012


PAGAMENTO DO PASEP - BANCO DO BRASIL
 
O Banco do Brasil, inicia o pagamento do PASEP para servidores públicos no no 15 de agosto de 2012 e termina em 06 de junho do ano de 2013. Vaja abaixo o calendário e fique atento a terminação do cadastro do seu Pasep.


CALENDÁRIO DE PAGAMENTOS DO PASEP - 2012/2013
Final da Inscrição (dígito)Início do Pagamento
0 e 1
15.08.2012
2 e 3
22.08.2012
4 e 5
29.08.2012
6 e 7
05.09.2012
8 e 9
12.09.2012
Final do Pagamento
28.06.2013
 Fonte: Banco do Brasil

segunda-feira, 9 de julho de 2012


Planilha salarial 2012 dos professore de Carpina

Planilha salarial 2012 dos servidores públicos municipais de Carpina, veja como ficou depois da Lei aprovada  conforme alterações do projeto Lei 02/2012 aprovado em 06/07/2012 na forma das legislações municipais e federal em vigor.

200h/aula Inicial  5 anos  10 anos 15 anos 20 ano 25 anos 30ANOS 35 ANOS
Mag.  R$     1.451,00  R$   1.523,55  R$   1.599,73  R$   1.679,71  R$  1.763,70  R$     1.851,88  R$   1.944,48  R$   2.041,70
Grad.  R$     1.741,20  R$   1.828,26  R$   1.919,67  R$   2.015,66  R$  2.116,44  R$     2.222,26  R$   2.333,37  R$   2.450,04
Pós grad.  R$     2.089,44  R$   2.193,91  R$   2.303,61  R$   2.418,79  R$  2.539,73  R$     2.666,71  R$   2.800,05  R$   2.940,05
Mest.  R$     2.507,33  R$   2.632,69  R$   2.764,33  R$   2.902,55  R$  3.047,67  R$     3.200,06  R$   3.360,06  R$   3.528,06
dout  R$     3.008,79  R$   3.159,23  R$   3.317,19  R$   3.483,05  R$  3.657,21  R$     3.840,07  R$   4.032,07  R$   4.233,67









150/aula Inicial  5 anos  10 anos 15 anos 20 ano 25 anos 30 anos 35 anos
Mag.  R$     1.088,25  R$   1.142,66  R$   1.199,80  R$   1.259,79  R$  1.322,77  R$     1.388,91  R$   1.458,36  R$   1.531,28
Grad.  R$     1.305,90  R$   1.371,20  R$   1.439,75  R$   1.511,74  R$  1.587,33  R$     1.666,70  R$   1.750,03  R$   1.837,53
Pós grad.  R$     1.567,08  R$   1.645,43  R$   1.727,71  R$   1.814,09  R$  1.904,80  R$     2.000,04  R$   2.100,04  R$   2.205,04
Mest.  R$     1.880,50  R$   1.974,52  R$   2.073,25  R$   2.176,91  R$  2.285,75  R$     2.400,04  R$   2.520,04  R$   2.646,05
Dout  R$     2.256,60  R$   2.369,42  R$   2.487,90  R$   2.612,29  R$  2.742,91  R$     2.880,05  R$   3.024,05  R$   3.175,26
































































































Observação: Esta planilha não consta no projeto Lei aprovado em 06 de julho, mas ela foi desenvolvida  com base na legislação em vigor sendo vinte por cento(20%) por titulação na vertical e cinco por cento(5%)  por tempo de serviço na horizonta.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

REAJUSTE DOS PROFESSORES DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO DO CARPINA É APROVADA POR UNANIMIDADE

Professores de Carpina levam seis meses para ter seu reajuste salarial aprovado na Câmara de Vereadores. O sindicato que vinha reivindicando o reajuste da categoria de professores a seis meses, conta uma história de sofrimento e vitória. Para ter esse reajuste precisou de fazer greve, mobilização nas ruas da cidade de Carpina, foram a capital pernambucana, fechararam o trânsito das principais avenidas do Recife, até chegar ao Palácio da Justiça de Pernambuco e pedir ao corregedor de justiça que julgue o processo que se encontra naquele forum desde o ano de 2009 e também pedir ao Ministério Público de Pernambuco as devidas providência.

Não demorou muito, o Ministerio Público de Carpina envia a prefeitura do Carpina  um documento determinando prazo de 60 dias para fazer valer a lei  e reajustar o salário dos professores conforme a legislação federal em vigor. O corregedor de Justiça se comprometeu em julgar o processso em 2ª estância que se encontra naquela casa, entre o meado de julho ou gosto.

O sindicato no dia 25 de abril suspende a greve por tempo indeterminado e espera o cumprimento da lei e da justiça. A partir daquele momento já se entendeu que estava nascendo os primeiros passos para uma negociação para o gestor público enviar o projeto Lei de Reajuste Salarial da Categoria  para a Câmara de Vereadores.

No meado de junho o prefeito de Carpina enviou projeto lei reajustando o salário dos professores com carga horária de 150 e 200 horas/aulas para quem tivesse nos anos iniciais e os demais professores que tivesses igual ou superior a 5 anos não teriam reajuste salarial e os direitos constitucional do Plano de Cargos, Carreira,  e Vencimentos ficaria de fora do projeto, tirando assim o direito de valorização dos professores. A Câmara de vereadores através do vereador Cicero, quando leu o projeto detectou algumas falhas e descumprimento das legislação municipal e federal  e pediu que o projeto fosse devolvido para o prefeito tomar as devidas providencias.

O sindicato não parou por aí, ficou atento. Colocou um carro de som nas ruas da cidades informando a toda a sociedade do desmando do gestor público que se negava a dar o reajuste salarial dos professores conforme a legislação em vigor. Novamente o gestor público manda o projeto corrigido mais ainda continuava com falhas. Ele garantia as vantagens, quinquenio e o pó de giz, mas continuou deixando os demais profissinais que tinha cinco  ou anos sem reajuste. A diretora presidente Maria das Mercês Silveira, fez uma assembléia com os professores e passou informação sobre o projeto lei que estava em tramitação na câmara  de vereadores do Carpina para ser votado e que o projeto contiuava ferindo a legislação municipal e federal. Esse projeto garantia apenas os quinquênio, as gratificações, mas não garantia o Plano de Cargos, Carreira e Vencimento da categoria, com isso a maioria  dos professores não teriam o reajuste salarial que tanto se esperavam. A categoria descidiu em manter a greve suspensa até o final de julho, até quando receber o provento do mês em curso. Outrossim, esperar a votação do projeto com suas modificações na forma da lei e ser apovado.

O sindicato e os professores agradecem aos vereadores Cícero e o vereador Charles Meira que ficou atento ao projeto e manteve o sindicato informado sobre o projeto que ali se encontrava tramitando. Hoje, dia 06 de julho, o projeto Lei nº 02/2012 é aprovado com as devidas correções de acordo com a legislação municipal e federal em vigor. O projeto foi aprovado por unanimidade sem muita discursão e os professores contam vitória depois de seis meses de luta. Mesmo assim, a greve continua suspensa até o final do mês, ou seja quado se receber o  primeiro vencimento depois da lei sancionada pelo gestor público. A presidente do SINSEMUC vai tribuna da câmara e agradece a todos presentes, aos vereadores que votaram o projeto Lei 02/2012 que outorgaram o gestor público a reajustarem o salário dos professores, como também fez questão de citar nomes dos vereadores que contribuiram para que esse projeto fosse votado e aprovado com as devidas modificações garantindo seus respectivos direitos constitucional na  forma da legislação em vigor. Vejam as fotos relacionadas a baixo.


Professores entre outros lotam a Câmara de Vereadores do Carpina para assistir a votação do projeto Lei 02/2012 que reajusta o salário dos professores.

No lado esquerdo se fez presente os vereadores: Neco da combi, Dr Fernando e Dedé Lanche
Na mesa diretora se fez presente os vereadores: Bila, Edilson da Ambulância e Claudio do Gesso

No lado esquerdo se fizeram presente os vereadores: Charles Meira, Cícero de Florestinha, Marta Guera e Tembú
Na plenária ficaram os professores entre outros.

Maria das Mercês Silveira presidente do SINSEMUC fez pronunciamento na tribuna da Câmara  de Vereadores e agradece a todos vereadores que contribuiram diretamente ou indiretamente pela aprovação do projeto que reajusta o salário dos professores e a todos os professores que se fizeram presente na Casa Murilo Silva

A presidente do SINSEMUC Maria das Merces Silveira da entrevista à radialisa da Alternativa FM

terça-feira, 3 de julho de 2012


Em futuro próspero A Lei de Aposentadoria  poderá ser: trabalhar, trabalhar... ou morrer contribuindo...

Prezados contribuintes do INSS, fique atento com os nossos políticos. O Ministro da Previdência está com uma proposta que muda o fator de posentadoria dos trabalhadores, criando idade mínima para os trabalhadores passe mais tempo conribuindo ou morrer no seviço. Com isso governo reduz defit previdenciário. Dessa forma os direitos dos trabalhadores conquistados desde a era do governo federal Getúlios Vargas, será estadignados e a CLT a cada dia que se passa tem mais uma pagina rasgada.
Veja a baixo a proposta do Ministro da Previdencial Ilm] GARIBALDI.

Ministro quer votar mudança na aposentadoria em agosto

Governo quer  fórmula conhecida como 85-95 (soma das idades e período de contribuição de mulheres e homens), mas que seja ampliada de acordo com envelhecimento da população.

O ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, afirmou nesta terça-feira que o governo está fazendo esforço para que uma proposta de mudança nas regras das aposentadorias seja votada no Congresso em agosto, com objetivo de atenuar o crescente déficit previdenciário.
A ideia é utilizar uma fórmula conhecida como 85-95 (soma das idades e período de contribuição de mulheres e homens, respectivamente), mas que seja progressiva. Ou seja, que esse número possa ser ampliado de acordo com o envelhecimento da população.
A fórmula vai substituir o fator previdenciário e é uma alternativa à tentativa do Congresso de acabar com o fator sem que haja uma compensação parcial. A regra 85-95 não compensa totalmente o fim do fator, que gerará neste ano uma economia de R$ 10 bilhões para a Previdência, segundo Garibaldi.
Segundo dados do ministério, mesmo com o fator, a expectativa é de aumento no déficit da Previdência, que hoje está abaixo de 1% do Produto Interno Bruto (PIB), para cerca de 5% do PIB. Nesta terça-feira, o ministério divulgou os dados de maio, que apontaram déficit de R$ 2,573 bilhões, ante R$ 2,419 bilhões em maio de 2011.
O resultado do Regime Geral de Previdência Social (RGPS) no acumulado de janeiro a maio foi de um déficit de R$ 17,802 bilhões, ante R$ 17,622 bilhões no mesmo período do ano passado.
O ministro disse que a proposta não está fechada. "Estamos em fase bem embrionária, técnica", afirmou. Na próxima semana, o governo vai apresentar cálculos sobre o impacto da proposta aos líderes do governo no Congresso.
Garibaldi disse ainda que o governo também pode optar por uma solução mista: adotar a regra de idade mínima para novos segurados do INSS, pessoas que ainda não entraram no mercado de trabalho, e utilizar a regra 85-95 para substituir o fator previdenciário para quem já está no mercado.
O Brasil é um dos poucos países que não tem idade mínima para aposentaria, ao lado de Irã, Grécia e Equador. 
Fonte: IG - http://economia.ig.com.br/financas/aposentadoria/2012-07-03/ministro-quer-votar-mudanca-na-aposentadoria-em-agosto.html

 

Informativo SINSEMUC Regional Mata Norte

http://mail-attachment.googleusercontent.com/attachment/?ui=2&ik=f779190b67&view=att&th=1384d1a4c68f0d7e&attid=0.1&disp=inline&realattid=f_h4719f0i0&safe=1&zw&saduie=AG9B_P-ozJoiXZ71r7KKh99wM0dK&sadet=1341365048697&sads=93h59IhZljDH8l-Hvw8KzsaQkb8&sadssc=1

segunda-feira, 2 de julho de 2012

SINSEMUC denúncia que PL do piso salarial dos professores de Carpina (PE) suprime direitos adquiridos
Categoria optou por manter suspensa a greve e caso prefeito não negocie a paralisação será retomada
O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Carpina e Região da Mata Norte (SINSEMUC), filiado à CGTB, realizou uma assembléia na Câmara de Vereadores de Carpina (PE), na terça-feira (26), e optou por manter suspensa a greve dos professores que lutam pelo cumprimento da Lei do Piso salarial da cidade. A categoria reconheceu que o prefeito de Carpina atendeu a recomendação do Ministério Público e enviou à Câmara o Projeto de Lei que fixa o novo valor do piso salarial dos profissionais do magistério público, no dia 18 de junho, porém o texto suprime direitos adquiridos.
“Vamos tentar a negociação. Caso o prefeito não atenda nossa reivindicação, a categoria será convocada e retomaremos a greve”, disse Maria das Mercês Silveira, presidente do SINSEMUC e tesoureira da CGTB-PE. De acordo com Mercês, o PL garante apenas a gratificação da docência, demais gratificações e quinquênio e suprime direitos e vantagens conquistadas ao longo do tempo.
A categoria ressaltou que o PL determina apenas que o piso salarial do professores com 150 horas aula passa a ser de R$ 1.089, não fazendo nenhuma referência ao piso inicial, conforme estabelece o inciso terceiro do 2º artigo da Lei nº 11.738/2008 (Legislação do Piso Salarial Nacional).
“Queremos reajuste sim, mas reajuste correto”, falou Mercês, convocando a categoria a se fazer presente na Câmara dos Vereadores na próxima terça-feira (03-07), quando o PL deve ser colocado em votação.
Histórico
No início de maio, o SINSEMUC suspendeu por 60 dias a greve dos professores deflagrada no dia 12 de abril exigindo o cumprimento da Lei do Piso salarial. A decisão de interromper a paralisação foi tomada após o SINSEMUC receber um oficio do Ministério Público dizendo que o prefeito de Carpina teria 60 dias para efetuar o pagamento do Piso Salarial dos Profissionais do Magistério Público da educação básica no município de Carpina.
O SINSEMUC havia notificado o Ministério Público para intervir e obrigar o prefeito a cumprir a Lei do Piso. Além disso, o Sindicato realizou no dia 20 de abril uma mobilização com 200 pessoas, apitos e carro de som percorrendo as ruas de Recife, culminando com uma manifestação em frente ao Tribunal de Justiça de Pernambuco.
Fonte: http://www.cgtb.org.br

Marcadores